Mulheres, Filhas, Amigas, Mães - Expressão do Amor de Deus

Mulheres, Filhas, Amigas, Mães - Expressão do Amor de Deus
"Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas..."

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

VAMPIROS EMOCIONAIS

Provavelmente todo mundo conhece a expressão “Com a faca e o queijo na mão”. Expressão idiomática que utilizamos quando queremos dizer que alguém está com uma grande oportunidade de vencer, quando tem o poder ou a facilidade de fazer alguma coisa, quando tem diante de si todas as condições necessárias para engrenar num negócio, relacionamento ou projeto de qualquer natureza. Agora, eu pergunto, existe algo pior que está com a faca e o queijo na mão e não saber cortar? Na minha opinião, pior que isso é não querer cortar. Existem milhões de pessoas que precisam de algo, dispõem facilmente desse algo, mas não desfrutam do algo. Complicado? Vamos exprimir! Nas ocasiões em que preciso aconselhar alguém, sempre a pessoa vem a mim pedindo uma ajuda, um direcionamento e muitas vezes chega desesperada, dizendo estar disposta a tentar tudo. Em algumas situações o problema é bem semelhante a alguma coisa que eu
já vivi e, sob a luz da Palavra de Deus, eu explico a pessoa como eu venci e dou toda a orientação, passo a passo, dou todas as instruções quase como se fosse uma receita de bolo e digo a ela que se ela seguir, nos moldes da vontade de Deus, com certeza ela irá vencer e superar a situação difícil. Desse modo, a pessoa sai do aconselhamento concordando com tudo, agradecendo e dizendo que fará tudo do jeito que eu direcionei. Bem... Então se passam os dias, os meses, e até anos, mas determinada pessoa continua na mesma situação? Então pergunto: Seguiu o aconselhamento? Claro que não! A verdade é que ninguém é obrigado a seguir os conselhos de ninguém, nem os de Deus, todos somos livres e A PRIMEIRA LEI DO CÉU É A LEI DA LIBERDADE. Entretanto, quem não quer seguir conselhos não os peça ou não incomode a mesma pessoa com os mesmos problemas já que você não quis seguir a orientação dada. Não é lógico?!
Existem pessoas que quando se encontram num dilema não sabem se reservar e buscar de Deus uma resposta, ou pelo menos, buscar uma única pessoa de confiança para ajuda-la nisso, caso a situação seja demasiadamente grave. Pelo contrário, saem ligando para um para outro para pedir opinião, ‘facebookando’ com todos os contatos que puder ou indo ao encontro dos que tiverem disponíveis para ouvi-las. Aí colhem uma opinião aqui, outra opinião ali e vai virando tudo uma “salada” muito confusa de pareces e “achismos”. Para isso tipo de situação eu só tenho duas respostas: 1. Ou a pessoa é totalmente sem identidade. Está nesse mundo perdida, sem saber quem é e para que veio; 2. Ou então só está buscando alguém que concorde com ela, está buscando um incentivo para fazer aquilo que interiormente ela já decidiu. Isto é, como diz o meu Pastor, está buscando uma parteira para o menino chamado “pecado” que ela já concebeu. E o pior é que tem tanta gente por aí servindo de parteira para o pecado!!! Colocando uma “pena” de força que estava faltando para alguém cometer algo errado.
Se for o primeiro caso, da falta de identidade, minha cara, busque identificar-se em Cristo, volte às suas origens em Deus, descubra o seu valor, viva na presença de Deus e você verá, dia após dia, esse quadro mudar. Você se tornará uma pessoa segura, decidida, forte e com a auto estima elevada. Não fique aí com a faca e o queijo na mão sem cortar!!! Corra para os braços do Pai porque Ele está de braços abertos te esperando! Busque ao Senhor enquanto você pode acha-lo, porque está muito próximo os maus dias em que você desejará busca-lo, mas não poderá encontra-lo mais.

Agora, se o caso for o segundo que citei, minha cara, comece a assumir o que de fato você quer sem precisar envolver os outros e precisa também começar a assumir sozinha a consequência pelos seus atos. Ou se você tem sido vítima de pessoas assim, jamais ajude, outra vez, tais pessoas a darem a luz ao pecado. A Bíblia fala muito a respeito disso, mas uma das passagens mais claras é esta: “Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”. Tiago 1:15 Concupiscência quer dizer “forte desejo” ou “desejo desenfreado”. Acontece mais ou menos assim: a possibilidade de pecar entra pelas “Portas da Alma”, que são os sentidos (visão, olfato, paladar, audição, tato) e você começa a pensar no pecado, a cogitá-lo, momento em que o correto seria esquecê-lo, entretanto você permanece alimentando a tentação e então, no seu íntimo, você já o concebeu. Nesse momento, o seu desejo de pecar se torna muito forte, ou seja, você está grávida do pecado e esta criança agora terá que nascer. Nesse momento você já pecou e a consumação é o exaurimento, a via natural deste curso e gera morte. Esta morte pode acontecer em vários significados, mas o mais importante quer dizer separação de Deus e perda da sua identidade em Cristo cada vez que você peca. Quem vive em pecado é vulnerável e está sujeito a todo fado de maldições. OBS: NESSE CASO, É MELHOR “ABORTAR” O PECADO ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS.


Continuando, numa ou noutra opção, a situação é sempre complicada, porque você ou está tendo sua energia roubada por esse tipo de pessoa ou está sendo a pessoa ladra da energia alheia, ou seja, está sendo um VAMPIRO EMOCIONAL. “VAMPIROS EMOCIONAIS – Como lidar com as pessoas que sugam você” é um livro de psicologia bastante interessante, escrito pelo Ph.D. Albert J. Bernstein, vejamos um pouco do que ele diz:

“A princípio, os Vampiros Emocionais parecem melhores que as pessoas comuns. São tão inteligentes, talentosos e encantadores como um conde romeno. Gostamos deles, confiamos neles, esperamos mais deles do que das outras pessoas. Esperamos mais, recebemos menos e, no fim das contas, saímos derrotados. Nós os convidamos a entrar na nossa vida e quase sempre só percebemos o erro quando eles desaparecem na noite, deixando-nos exauridos, com dor na nuca, carteira vazia ou talvez coração partido. Mesmo assim nos perguntamos: serão eles ou serei eu? São eles. Os Vampiros Emocionais. Você os conhece? Já experimentou seu poder sombrio em sua vida? Já conheceu pessoas que pareciam maravilhosas à primeira vista, mas depois se revelaram o oposto? Já se deixou cegar por explosões brilhantes de charme que se acendiam e se apagavam como cartazes baratos de néon? Já ouviu promessas sussurradas na calada da noite que foram esquecidas antes do amanhecer? Alguém já o sugou completamente? Os Vampiros Emocionais não se levantam de túmulos à noite. Moram ali na esquina. São os vizinhos tão acolhedores e cordiais na sua presença, mas que espalham boatos pelas suas costas. Os Vampiros Emocionais estão no time de vôlei; são os astros do time até que algo se volte contra eles. Quando isso acontece, têm acessos de raiva que deixariam envergonhada uma criança de três anos. Os Vampiros Emocionais trabalham nos escritórios; ocupam cargos altos e bem remunerados, envolvem-se tanto em política e em intrigas mesquinhas que não têm tempo para trabalhar. Os Vampiros Emocionais podem até dirigir uma empresa; são os chefes que fazem palestras sobre outorga de poderes e incentivos positivos, depois ameaçam demitir funcionários pelos mínimos erros. Os Vampiros Emocionais podem estar à espreita em sua própria família. Pense no seu cunhado, o gênio que não pára em emprego algum. E aquela tia quase invisível que cuida de todo mundo, até que doenças esquisitas e debilitantes o obrigam a cuidar dela? Será que precisamos falar daqueles parentes tão carinhosos e irritantes que estão sempre pedindo que você faça o que lhe agrada, na esperança de que você agrade a eles? O vampiro pode compartilhar sua cama, ora como um parceiro amoroso, ora como um estranho frio e distante.”

Foi neste passo, queridas leitoras, que eu resolvi não gastar mais a minha energia com pessoas que não querem mudar de vida, pessoas que passam tempos e tempos com a mesma conversa “furada”, mas não mudam de atitude. Pessoas que só querem os benefícios de Deus, mas não querem sacrificar suas vidas de pecado e desobediência. Tais pessoas viverão o resto de seus dias na mediocridade e jamais descobrirão o propósito de suas vidas. Eu lamento, porque existem muitos que jamais encontrarão a felicidade, jamais serão plenos. Passarão a vida inteira bebendo água “do poço de Jacó” e jamais pedirão a Jesus para beber da “água viva”. Água do poço de Jacó simboliza o pecado, salgada, tal qual a água do mar, você bebe, bebe e bebe, mas jamais matará sua sede. Quanto mais se peca, mais se quer pecar e o vazio dentro de si só aumenta, assim como as insatisfações que só crescem. E a pessoa está sempre em busca de algo diferente, de uma nova sensação ou de experimentar algo novo, mas nunca mata sua sede. Mas aquele que recebe da água da vida jamais voltará a ter sede outra vez, pois como disse Jesus, “rios de água viva correrão do seu ventre”. (Leia João 4).


É A LUZ = CONHECIMENTO QUE NOS TIRA DAS TREVAS DA IGNORÂNCIA.




"O POVO QUE ANDAVA EM TREVAS VIU UMA GRANDE LUZ E SOBRE OS QUE HABITAVAM NA REGIÃO DA SOMBRA DA MORTE RESPLANDECEU A LUZ" (Isaías 9)










terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

BATENDO À PORTA ERRADA



Não faz muito tempo convidei minha mãe e minha irmã para passar uma tarde comigo e com a Gigi na minha casa. Minha mãe chegou cedo, mas a minha irmã demorou demais. Sabíamos que ela viria direto da faculdade para minha casa e sabíamos também que ela havia esquecido seu telefone celular em casa, pois conseguiu ligar do telefone de uma amiga para avisar quando ainda estava na aula. Sabíamos também que o trajeto era um pouco distante e o transporte difícil, mas nada conseguia justificar tanta demora.
Esperei-a para almoçar, acabei almoçando sem ela. Não tirei a mesa esperando-a, o almoço esfriou. A essas alturas minha mãe não parava de falar no assunto e eu dizia: “_Acho que ela desistiu de vir.” As horas se passaram... Ei-la à porta! Exausta! Indignada! Mas o que de fato aconteceu? Ela havia chegado cedo, mas errou o bloco e o apartamento e estava todo esse tempo batendo na porta de um apartamento desocupado no bloco vizinho!!! Jamais esperávamos que isso fosse acontecer, pois ela já tinha vindo na minha casa outras vezes!
Completando a história, ela nos contou que chegou cedo e que foi nesse apartamento achando que era o meu e bateu, bateu e bateu exaustivamente na porta, chamou, sentou no degrau da escada para esperar, tornava a bater e tornava a sentar... Nesse momento ela estava com raiva de mim, pois achava que eu tinha marcado com ela e que tinha saído de casa. Como ela tinha esquecido o telefone não tinha como nos comunicarmos. E a raiva dela cresceu tanto e o cansaço já era tão grande que ela resolveu ir embora, esgotada e super chateada, mas, ao passar pela portaria resolveu pedir ao porteiro para interfonar, pois achava que não tinha ninguém em casa. O porteiro, que já sabia que ela era minha irmã e por isso a deixou entrar sem pedir identificação, respondeu: “_Ela está em casa sim, sua mãe também está aí desde cedo.”  E no meio da conversa ela descobriu que estava batendo na porta errada. Nesse passo, a raiva que ela estava de mim se converteu em raiva de si própria por motivos simples: Por que havia batido na porta errada por tanto tempo? E por que não pediu logo uma orientação ao porteiro?
Bom... Mas o importante é que ela chegou a tempo de termos uma tarde agradável e eu a recepcionei com um lanche bem gostoso.


Essa historinha verídica serve apenas como ilustração para a nossa reflexão de hoje. O problema é que em nossas vidas acabamos esgotando nossas forças seguindo na direção errada, insistindo em coisas que não vão dar certo, usando todos os recursos em ideias “furadas” pelo simples fato de termos nos apegado a algo que achávamos que era o certo. São as tais ideias fixas.

E ouviu isto o rei Herodes (porque o nome de Jesus se tornara notório), e disse: João, o que batizava, ressuscitou dentre os mortos, e por isso estas maravilhas operam nele.
Outros diziam: É Elias. E diziam outros: É um profeta, ou como um dos profetas. Herodes, porém, ouvindo isto, disse: Este é João, que mandei degolar; ressuscitou dentre os mortos.
Porquanto o mesmo Herodes mandara prender a João, e encerrá-lo maniatado no cárcere, por causa de Herodias, mulher de Filipe, seu irmão, porquanto tinha casado com ela.
Pois João dizia a Herodes: Não te é lícito possuir a mulher de teu irmão.
E Herodias o espiava, e queria matá-lo, mas não podia.
Porque Herodes temia a João, sabendo que era homem justo e santo; e guardava-o com segurança, e fazia muitas coisas, atendendo-o, e de boa mente o ouvia.
E, chegando uma ocasião favorável em que Herodes, no dia dos seus anos, dava uma ceia aos grandes, e tribunos, e príncipes da Galiléia,
Entrou a filha da mesma Herodias, e dançou, e agradou a Herodes e aos que estavam com ele à mesa. Disse então o rei à menina: Pede-me o que quiseres, e eu to darei.
E jurou-lhe, dizendo: Tudo o que me pedires te darei, até metade do meu reino.
E, saindo ela, perguntou a sua mãe: Que pedirei? E ela disse: A cabeça de João o Batista. 
(Marcos 6:14-24)

Ontem estava assistindo uma ministração do Pr. Cláudio Duarte (Deus, salve minha família II) e ele deu uma breve explicação que me fez meditar sobre essas ideias fixas. Em breves palavras ele relatou a história de Herodias, mulher de Filipe, mas que abandonara o marido e vivia em transgressão com o irmão dele, Herodes Antipas. Tal adultério fora denunciado pelo homem de Deus, João Batista, o que acabou se tornando um assunto de alvoroço público. Desse modo, o coração de Herodias adoeceu e guardou profundo rancor contra João. Chegou então o dia do aniversário de Herodes e o reino entrou em festa. Sua enteada, Salomé, apresentou-lhe uma dança que ele muito apreciou e por conta disso lhe prometeu que daria até metade do reino se assim ela desejasse. Sempre uma boa filha, Salomé correu para pedir conselho à mãe, Herodias. Deveria pedir um esplêndido palácio ou uma parte do tesouro real? Herodias, porém, só tinha uma coisa em mente: vingança. E quando Salomé voltou ao salão do banquete para dar sua resposta ao rei Herodes, surpreendeu a todos pedindo a cabeça de João Batista numa bandeja, sob a ordem de sua mãe.


MAS PARA QUÊ SERVIRIA A CABEÇA DE UM MORTO????

HERODIAS SE APEGOU A VINGANÇA E PERDEU METADE DE UM REINO!

QUANTAS VEZES NOS FIXAMOS EM IDEIAS E ATITUDES TÃO MEDÍOCRES QUANDO DEUS TEM TESOURO REAL PARA NOS DAR?!

Agora, preste bastante atenção! Você já teve a sensação de que a sua vida está estagnada? De que anos e anos se passaram e ainda estão se passando sem que nada mude? Quantas vezes você já pensou que em sua vida nada está acontecendo?



Minha querida pérola, se é assim que você se sente a maior parte do tempo, não seria a hora de você buscar alinhar seus sonhos aos propósitos divinos?

Veja o exemplo de Herodias e compreenda que às vezes as ideias fixas podem ser perigosas! Pior, você pode incorrer no risco de bater à porta errada durante toda uma vida!
Veja o exemplo que citei logo no início desta postagem! Minha irmã batia à porta errada e estava zangada comigo porque eu, no entendimento dela, não estava lá para lhe abrir a porta, mas na verdade eu estava no lugar certo, esperando-a chegar, ansiosamente, com um “banquete” à mesa. Agora, imagine a situação! Você zangada com Deus, magoada porque as portas não se abrem, enquanto Deus te aguarda com até “metade do seu reino”, quero dizer, com tesouros celestiais para te dar! Só que você se fixou em seu próprio caminho, em suas próprias ideias e sonhos e acabou excluindo o Senhor da sua vida.
Às vezes ansiamos tanto por algo, lutamos tanto pelos nossos sonhos que eles podem acabar se tornando um ídolo em nossas vidas. E Deus, amadas, não tolera a idolatria.


Portanto, meus amados, fugi da idolatria.1 Coríntios 10:14

O castigo da vossa perversidade eles farão recair sobre vós, e levareis os pecados dos vossos ídolos; e sabereis que eu sou o Senhor DEUS.Ezequiel 23:49
                     
Portanto fala com eles, e dize-lhes: Assim diz o Senhor DEUS: Qualquer homem da casa de Israel, que LEVANTAR OS SEUS ÍDOLOS NO SEU CORAÇÃO, e puser o tropeço da sua maldade diante da sua face, e vier ao profeta, eu, o SENHOR, vindo ele, lhe responderei conforme a multidão dos seus ídolos;Ezequiel 14:4


E aí que mora o perigo! Talvez você tenha levantado o seu sonho como um ídolo no seu coração e ele acabou por tomar o lugar de Deus em sua vida. Sendo isto verdade, queridas, lamento informar, seus sonhos, seus esforços serão em vão.


“Você não verá seu sonho realizado até que o submeta ao Senhor” (Stormie Omartian)

“Se são sonhos e visões pessoais que não procedem de Deus, experimentaremos uma vida sem satisfação e nos desgastaremos tentando realiza-los.” (Stormie Omartian)

Isso me faz recordar o episódio bíblico em que Deus pede a Abraão que sacrifique o seu filho da Promessa: Isaque. Durante toda uma vida Abraão sonhou com esse filho e agora, quando finalmente podia embalá-lo em seus braços, Deus pede a sua vida. Mas Abraão escolheu submeter o seu sonho ao Senhor e prontamente se preparou para o sacrifício, acreditando que Deus poderia ressuscitar seu filho dentre os mortos. Nesse momento o anjo do Senhor impede o ritual porquanto a prova da fidelidade de Abraão e do seu compromisso e amor por Deus já estava dada. (Gênesis 22)
Você é o Abraão da vez e Isaque é o seu sonho! Você teria coragem de renunciar aos seus sonhos, todos eles, por amor a Deus? Ainda que seus sonhos morram, você acredita que Deus poderá ressuscitá-los dentre os mortos? Ainda mais vivo, renovado, com uma nova "roupagem", mais forte e mais profundo? Entretanto, repito, você tem coragem de renunciá-los sem esperar nada em troca?



SEU SONHO NÃO PODE SE TORNAR SEU ÍDOLO!!!

SEUS SONHOS PRECISAM E DEVEM SER SUBMETIDOS A DEUS!!!

SE VOCÊ NÃO SUBMETER SEUS SONHOS A DEUS PASSARÁ TODA A VIDA SE DESGASTANDO PARA REALIZÁ-LO!!!

SE VOCÊ NÃO SUBMETER SEUS SONHOS A DEUS VIVERÁ SEM SATISFAÇÃO!!!

Por fim, voltando a nossa ilustração, a raiva que minha irmã estava sentindo de mim se converteu em raiva de si mesmo quando descobriu que era ela que estava batendo à porta errada. E mais, indignou-se por dois motivos extras:

  • Porque gastou muito tempo batendo na porta errada quando poderia ter ido embora logo.
  •  Porque não pediu logo a orientação ao porteiro do prédio. 

Minha amada, aqui concluo dizendo, peça sempre e previamente orientação a Deus para tudo em sua vida. Não se esgote para depois tomar essa atitude.

A DIREÇÃO DE DEUS TE LIVRARÁ DE MUITOS CANSAÇOS E DESGOSTOS!!!!

AFINAL, DEUS TEM ATÉ “METADE DO REINO” PARA TE DAR!

Querida, será que não é o momento de perguntar a Deus se você não está batendo à porta errada????

ESQUEÇA “A CABEÇA DE JOÃO BATISTA”, QUE NENHUM PROVEITO TE TRARÁ E OPTE PELOS TESOUROS REAIS!!!



quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

MÁQUINA DO TEMPO


Olá, queridas Pérolas! Já faz algum tempo que não nos comunicamos! É verdade que deixei nosso blog um pouco de lado, pois estive me dedicando a um lindo presente que o Senhor me deu no ano de 2012, a minha princesinha, a minha Gisele que nasceu em setembro no mesmo dia do meu aniversário. Uma grande emoção!
A gestação foi tranquila, porém cansativa. Não foi nada fácil carregar aquele barrigão (risos), depois tive que enfrentar uma depressão pós-parto, mas, agora tudo vai bem, graças ao nosso bom Deus! Três meses já se passaram desde o nascimento da minha filha e já me sinto em condições de retomar as nossas reflexões. Creio que aos poucos contarei essa experiência em minha vida.

31 semanas de Gestação
Momento do parto
Gisele recém-nascida (ainda na maternidade)
Foto atual

 Ser mãe de primeira viagem não é nada fácil, a princípio tudo nos assusta demasiadamente: um choro, um engasgo, até mesmo quando ela levava a manta ao rostinho eu achava que ia sufocar... Ah... às vezes eu penso que seria bom voltar no tempo... Cometeria menos erros em face da inexperiência e minha filha teria passado menos “sufoco”. Também sinto saudades dela miudinha, recém-nascida, tão frágil... Aí isso me fez perceber que não são poucas as situações em nossas vidas nas quais desejamos voltar no tempo. Eu mesma, inúmeras vezes, tive vontade de reiniciar e corrigir tantos erros e tropeços que já cometi! Na vida pessoal, profissional e mesmo espiritual... Quantas vezes trancada em meu quarto me deixava levar pela imaginação e em minha mente criava toda uma situação de retorno ao passado... O que eu faria... O que não faria... Fico imaginando uma situação semelhante ao filme dos anos 80 “De volta para o futuro” e desejando uma máquina do tempo.



“Recomeçar é mais difícil que começar, pois requer a coragem do início e a superação do fracasso”. (Flávia Barros)

A verdade mesmo é que máquinas do tempo não existem (pelo menos não que eu saiba) e que a gente tem que aprender a viver com o que temos, com o que já construímos, lutando dia após dia para acertarmos, para sermos pessoas melhores e, muitas vezes, tendo que ter coragem para desistir de algumas coisas e força para recomeçar de uma maneira diferente.

Assim serviu Jacó sete anos por Raquel; e estes lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava.
E disse Jacó a Labão: Dá-me minha mulher, porque meus dias são cumpridos, para que eu me case com ela.
Então reuniu Labão a todos os homens daquele lugar, e fez um banquete.
E aconteceu, à tarde, que tomou Lia, sua filha, e trouxe-a a Jacó que a possuiu.
E Labão deu sua serva Zilpa a Lia, sua filha, por serva.
E aconteceu que pela manhã, viu que era Lia; pelo que disse a Labão: Por que me fizeste isso? Não te tenho servido por Raquel? Por que então me enganaste?
E disse Labão: Não se faz assim no nosso lugar, que a menor se dê antes da primogênita.
Cumpre a semana desta; então te daremos também a outra, pelo serviço que ainda outros sete anos comigo servires.
E Jacó fez assim, e cumpriu a semana de Lia; então lhe deu por mulher Raquel sua filha.
E Labão deu sua serva Bila por serva a Raquel, sua filha.
E possuiu também a Raquel, e amou também a Raquel mais do que a Lia e serviu com ele ainda outros sete anos. 
(Gênesis 29:20-30)

No livro de Gênesis encontramos relatada essa história de perseverança em que um homem (Jacó) submeteu-se a uma situação degradante e desonrosa para alcançar o seu sonho (casar-se com a mulher amada – Raquel). Ele empregou todos os seus esforços em sete anos de trabalho e acreditava piamente que ao final desse período o seu trabalho lograria êxito, entretanto, viu-se enganado por seu sogro que se aproveitou de um costume da época, em que a noiva era entregue vedada ao noivo, para casar Lia, sua filha mais velha.
Queridas, não é fácil investir esforços, gastar tempo e muitas vezes dinheiro contando com um resultado provável e no fim de tudo fracassarmos em nosso propósito. Mais difícil ainda é admitir o fracasso e reinicializar tudo. É preciso coragem. É preciso decisão.
Jacó nos dá uma lição quando se compromete a trabalhar mais sete anos para se casar com Raquel, numa circunstância onde ele poderia ter se entregue ao cansaço e ter se conformado com Lia ou poderia ainda viver uma vida de frustração, revolta e recordações do passado. Talvez, nesse momento de sua vida, Jacó tivesse desejado, assim como nós, possuir uma máquina do tempo, voltar ao passado e corrigir o engano. Mas ao invés de viver se lamentado, ele decidiu persistir, recomeçar e, desse modo, garantiu a sua vitória, casou-se com a mulher amada e com ela gerou um filho, José, que anos mais tarde viria a ser o Governador do Egito, o homem que salvou a humanidade da fome.


“As atitudes revelam oportunidades que a passividade teria deixado escondidas. A história nos ensina que as pessoas passivas sucumbem às suas desculpas e submetem-se aos seus temores.” (Maquiavel)

Eu compreendo que muitas de vocês tenham começado a trabalhar muito cedo e agora já com 30, 40 ou 50 anos talvez não tenham conquistado uma posição de segurança ou ainda você pode estar estudando há tantos anos e não ter conseguido o seu objetivo... É mesmo difícil olhar para trás e ver que anos de esforços não valeram de nada! Mas, Deus está falando com você nesse momento! Não se lamente por todo esforço desperdiçado e nem viva uma vida de frustração achando que jamais irá conseguir! Passe uma borracha! Esqueça “o leite derramado” e trabalhe mais, e persista mais, recomece, reinicie, zere o placar e trabalhe mais “sete anos” como Jacó. Talvez a sua “Raquel” seja uma estabilidade financeira, ou uma estruturação familiar, ou ainda mesmo uma cura. Não importa qual seja o seu sonho, saiba que é possível alcança-lo, só depende de você!

“Nos sucessos tomamos o cálice da alegria, nos fracassos tomamos o cálice da experiência” (Augusto Cury)

Casar-se com Raquel era o projeto de vida de Jacó.

QUAL O SEU PROJETO DE VIDA?

A sua atitude de persistência pode vir a gerar um “José”, ou seja, se você perseverar estará garantindo um futuro brilhante.


“Desejos não resistem às dificuldades da vida, sonhos são projetos de vida, sobrevivem ao caos.” (Augusto Cury)




“Esforçai-vos, e tende bom ânimo; não temais, nem vos espanteis (...)”
(2 Crônicas 32:7)




sexta-feira, 11 de maio de 2012

INTUIÇÃO DE AMOR (Mensagem para as Mães)



Depois da chuva aponta-se um arco-íris – tão cheio de cores vibrantes que logo nos esquecemos das assombrosas torrentes que se passaram.


É época de mudança de estação. A temperatura começa a ceder gradativamente. Em suas tardes – um certo frio característico – a terra molhada ainda exala o seu cheiro que a alguns agrada. A mim muito agrada.
A estiagem é suficiente para trazer às ruas as agitadas crianças que correm seguindo as tanajuras, essas, por sua vez, anunciam que período chuvoso se apresenta.
Logo será noite...

Em poucos segundos consigo regressar ao meu passado, a minha infância e pareço ouvir nitidamente a voz da minha mãe! Às vezes doce, às vezes severa... Ouço o tom proibitivo, ouço o alerta... “_Mais na frente você vai me agradecer!”



E como eu ficava brava com tais proibições! Com os castigos e com as correções! Eu não conseguia entender, na minha limitada visão de menina, que as atitudes que me pareciam tão severas eram atitudes de amor! “Como alguém pode dizer que me ama e agir tão severamente comigo?” Eu questionava intimamente... Mal sabia que tudo isso fazia parte de um plano! Sim, um plano! Meio intuitivo, meio arriscado, mas um plano de proteção da minha vida! Sim, minha mãe estava protegendo o meu futuro, a minha vida, a minha honra, a minha dignidade física e moral. Nunca pensei que diria isso, mas hoje sou extremamente grata por cada atitude que minha mãe teve em relação a mim! Pelas tardes trancada no quarto, pelas surras de tabica, pelo “cabresto” curto... Minha vida poderia ter se perdido no caminho se minha mãe tivesse agido diferente comigo, se tivesse sido mais permissiva, por exemplo.
Hoje eu consigo compreender e ver amor até nas atitudes erradas e exageradas que ela teve... Sim, pois nem sempre ela acertou! Mas eu poderia exigir mais de uma mãe de 17 anos sozinha no mundo? Sem ninguém para orientá-la? Hoje eu vejo que não! Em sua inocência, em sua limitação, minha querida mãe fez muito por mim! Meu Deus, quase tudo o que sou eu aprendi com ela! Eu sou parte dela! E agora, esperando minha primeira filha que será parte de mim e parte da minha mãe também estará presente nela! Ah, meu Deus, é evidente que eu quero ser pra minha filha uma mãe melhor, é evidente que eu não quero cometer os mesmos erros e quero repetir os acertos... E agora eu me pergunto, como me sairei diante de tamanha responsabilidade? Será que eu conseguirei ter os mesmos méritos da minha mãe?


O que está por vir me emociona ao mesmo tempo que me assusta... Sinto como se a felicidade da minha filha dependesse, grande parte, de mim... Quero educa-la segundo os preceitos divinos, quero ensiná-la a amar ao próximo e a respeitar todas as pessoas. Quero ensiná-la a batalhar pela vida, a se esforçar para conquistar seus objetivos... Oh, Deus, capacita-me!

Quanto aos pequenos...


Aos pequenos... a eles o que está por vir pouco importa. É tão bom brincar com os amiguinhos e correr pelas ruas do bairro sem compromissos, sem preocupações!

“_Cai, cai tanajura na panela de gordura!”

E não é que as crianças acreditam mesmo que essa cantiga faz as tanajuras caírem?!

Até os dias de chuva têm a sua beleza.
É na infância que se aprende as mais importantes diretrizes para toda uma vida. “Ensina ao menino o caminho” – com propriedade disse o sábio rei Salomão, pois, é um tanto difícil desprender-se das raízes. É infinitamente intrigante agir contrariamente aos preceitos que nos seguem desde tenra idade. É amoral, para cada pessoa à sua maneira, engendrar-se num caminho destoante da educação obtida, das normas já cristalizadas no consciente. Muitos responsáveis há por elas, mas, sem dúvidas, os pais são os principais professores.
Existem normas de conduta aprendidas na infância que nos são ferramentas de controle por toda a vida. E tantas vezes abandonamos algo por causa delas! Se não for por nossa própria vergonha, certamente será para não envergonhar os que nos educaram.

HÁ UM ELO INVISÍVEL E PERPÉTUO ENTRE A INFÂNCIA E TODO O CURSO DA VIDA.

Mas, enquanto esse tempo não chega, os pequenos capturam tanajuras, correm desvairadamente por todos os lados e esbanjam a mais pura e única inocência.

Essas são as minhas tardes saudosas de inverno.

Ao anoitecer, é preciso se agasalhar, após banho quente e sopa de legumes, nos indescritíveis braços maternos e na voz segura, acalentadora e até repetitiva:

“_ [...] É pra o seu bem que eu estou fazendo isso!”

Admirável saber! Intuição de amor...




Instinto materno que conduz nossa infância, nossa adolescência e parte de nossa vida adulta. Como pode ser tão perfeito, tão certeiro, tão benéfico se não for divino? Resta clarividente que a maternidade é um dom de Deus!



Esse caminho ensinado jamais será esquecido e será o esteio para a construção de um futuro brilhante!



A todas as mães maravilhosas e aquelas que aguardam seus bebês: FELIZ DIA DAS MÃES! Vocês merecem toda a nossa consideração e o nosso reconhecimento! Vocês que têm nas mãos a chave para a felicidade de seus filhos!

Deus nos capacite para tão árdua tarefa!